Cuidado, parabenos!


Mas o que são parabenos?


Produtos de beleza e de higiene pessoal são cada vez mais utilizados. O merca-
do de cosméticos brasileiro tem um ótimo desempenho econômico e a demanda por esse tipo de produto só cresce. É muito importante estarmos
atentos à composição dos produtos que estamos utilizando.

De acordo com o Food and Drugs Administration (FDA), do Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo dos EUA, o parabeno é uma classe de compostos químicos, utilizados como conservantes, principalmente em cosméticos. Os tipos de parabenos mais comuns são o metilparabeno, o propilparabeno, o etilparabeno e o butilparabeno.

Onde os parabenos estão presentes? 

Segundo o FDA, entre os produtos que podem conter parabenos estão maquiagens, desodorantes, hidratantes, loções, esmaltes, óleos e loções infantis, produtos para o cabelo, perfumes, tinta para tatuagens e até mesmo cremes de barbear. Além de cosméticos, podemos encontrar esses compostos em certos tipos de alimentos e remédios.

Quais riscos ele oferece?

O parabeno oferece proteção contra micróbios e outros microrganismos, com o intuito de garantir tanto a integridade do produto quanto a saúde do indivíduo que o usa. Mas não é bem assim que as coisas realmente acontecem.
Estudos relacionam o desenvolvimento de câncer de mama com os parabenos, levados em conta os xenoestrogênios fracos, encontrados em desodorantes. Outros estudos apontam que o consumo de produtos que possuem parabeno pode causar alergias cutâneas e o envelhecimento precoce da pele. O parabeno interfere no sistema endócrino, possui uma atividade estrogênica. Por conta disso ele é considerado um disruptor endócrino. Atualmente, essas substâncias vêm ganhando relevância, pois mesmo em doses pequenas podem causar malefícios à saúde e ao meio ambiente. Diruptores endócrinos alteram sistema hormonal e podem provocar distúrbios mesmo em pouca quantidade.

Evitando o parabeno


O controle sobre a quantidade de parabenos presentes em cosméticos é bastante rígido. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabeleceu como limite as concentrações máximas de 0,4% de cada parabeno e um máximo de 0,8% de parabeno total no produto cosmético.


A escolha sobre consumir ou não produtos que levem parabenos em sua composição é exclusiva do consumidor, mas na existência de alternativas, é sempre prudente não correr riscos ao consumir compostos químicos que possam causar problemas à saúde.

 

Deixe um comentário

Nome .
.
Mensagem .

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados